terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

IMPRESSÕES II

O Sol nasce
Mas não se machuca,
Não se cura,
Não odeia,
Não ama...

Se está lindo?
A resposta se norteia
Entre o sim e o não
Da chama de uma alma,
Não mais que filial...

O sol morre
Mas sempre ressurge
Na própria inconsciência
Que cria várias ciências
Que por ele urgem
Pela vida que se socorre
A si só, o sol...

Se está triste?
O sentimento se confunde
Com uma imagem em declive
Que independe de fechar os olhos...

O sol
Assiste todos
Assiste a todos:
Em seu começo,
Em seu meio,
Em seu fim.

2 comentários:

  1. O astro da vida em versos descrito oferece poesia muito bela na sua pluma.
    Gostei da dúvida...

    => Crazy 40 Blog
    => MeNiNoSeMJuIz®

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário sonoramente poético, Doce, sobre estes versos singelos,Dulce Morais

    ResponderExcluir